ATENÇÃO: WhatsApp passará a coletar dados dos seus usuários

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin

Não é de hoje que as Empresas do Facebook se envolvem em polêmicas. Sejam elas de privacidade, de censura, de coleta e compartilhamento indevido de dados de seus usuários, e até mesmo de fazer “vista grossa” a discursos de ódio e discriminação. Sem contar, com inúmeras funcionalidades que incrementam nos seus aplicativos que são descaradamente cópias dos seus concorrentes diretos.  Facebook, Instagram, Oculus VR e Whatsapp, são as principais empresas do grupo.

Dentre os aplicativos do grupo, o WhatsApp que foi comprado por U$16 milhões em 2014, aparentava entregar um pouco mais de segurança e privacidade para seus usuários, e tudo isso gratuitamente. Especialmente pela promessa de criptografia de ponta a ponta. Mas, como todos sabem, não existe “almoço grátis”.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

>> WhatsApp – Use, mas não Abuse! <<

 

E agora esta conta parece ter chegado e por si só, já está começando a causar grandes questionamentos e polêmicas. É que o Facebook, dono do WhatsApp, anunciou uma mudança significativa na política de privacidade do mensageiro que entrará em vigor a partir do dia 08 de Fevereiro de 2021. A partir de agora, embora afirmem que criptografia ponta a ponta continuará existindo, e que suas conversas continuarão privadas, seus dados não mais estarão.

Nos trechos extraídos da referida política, é possível ler que agora está explícito que seus dados, e até dos seus contatos, poderão e serão coletados com fins de compartilhamento com o aplicativo facebook e/ou outros do grupo. O propósito desta coleta? Essencialmente comercial.

 

Destaque da Nova Política de Privacidade


[…]

  • Dados fornecidos por terceiros sobre você. Recebemos dados de outros usuários sobre você. Por exemplo, quando outros usuários que você conhece utilizam nossos Serviços, eles podem fornecer seu número de telefone, nome e outros dados (como os que estão na agenda de contatos do celular deles), assim como os números desses usuários podem vir de seus contatos. Eles também podem enviar mensagens para você, para os grupos dos quais você participa ou ligar para você. Exigimos que cada um desses usuários tenha autorização legal para coletar, usar e compartilhar seus dados antes de fornecê-los para nós.

[…]

  • Dados sobre conexões e dispositivos. Coletamos dados específicos sobre conexões e dispositivos quando você instala, acessa ou usa nossos Serviços. Essa coleta inclui dados como modelo de hardware, informações do sistema operacional, nível da bateria, força do sinal, versão do aplicativo, informações do navegador, rede móvel, informações de conexão como número de telefone, operadora de celular ou provedor de serviços de internet, idioma e fuso horário, endereço IP, informações de operações do dispositivo e identificadores (inclusive identificadores exclusivos para Produtos das Empresas do Facebook associados ao mesmo dispositivo ou conta).

[…]

 

Fonte:  Política de Privacidade do WhatsApp (Última alteração: 4 de janeiro de 2021 (versões arquivadas))

https://www.whatsapp.com/legal/updates/privacy-policy/?lang=pt_br


 

Melhores serviços ou mais lucro?

 

Um das alegações para essas mudanças na política de privacidade, e consequentemente na forma de coleta e compartilhamento de dados dos seus usuários, é para melhorar ainda mais o serviço e fazer melhores entregas. Mas, na verdade todos sabem que além dessa consequência “boa”, a empresa também terá mais controle e acurácia sobre o perfil dos seus utilizadores.

E quanto mais claro e detalhado o perfil do internautas que navegam por suas páginas, mais pontual poderá ser as publicidades direcionadas. Consequência disso? Mais venda para seus anunciantes e mais lucro para as empresas envolvidas, incluindo o Facebook, Inc..

Tem alternativas? Têm! Mas vale a pena? Depende.

Segundo a nova política de privacidade do WhatsApp, quem não aceitá-la terá sua conta suspensa. Então, como alternativa poderá ser utilizado outros mensageiros tão bons, ou até melhores e mais seguros. Contudo, provavelmente você ficará sem desconectado do mundo.

Acontece que hoje, com a popularização do mensageiro tanto para uso profissional quanto pessoal, ele está presente em aproximadamente 99% dos smartphones brasileiros. Enquanto seu maior concorrente, o Telegram, está presente em somente 35% dos aparelhos. Ou seja, você pode até decidir não usar mais o mensageiro, mas certamente ficará incomunicável neste mundo digital.

 

Alternativas ao WhatsApp

Embora com pouca aderência no Brasil, há excelente alternativas ao uso do WhatsApp.

Principais alternativas:

  • Telegram: Um mensageiro muito mais seguro e privado, sem contar com inúmeras funções exclusivas.
  • Skype:  já foi o preferido de bilhões de pessoas no passado, que também oferece chamadas de vídeo, chat e até mesmo ligações para telefones fixos e celulares.
  • Signal: muito pouco conhecido no Brasil, mas é o preferido e inclusive recomendado pela Comissão Europeia.

 

* Só para lembrar, Instagram Direct e Messeger também são do facebook.

** Só baixe aplicativos a partir das lojas oficiais APP Store e Play Store.

Então, se escolher continuar utilizando o maior mensageiro do planeta, já sabe, seus dados serão coletados e utilizados para fins de direcionamento de publicidade. Se optar em sair, certamente ficará incomunicável no mundo digital. A decisão é sua.

Ou assista diretamente no Youtube pelo link: https://youtu.be/zqLq63CZ3Aw

 

COMPARTILHE:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
NOTÍCIAS RELACIONADAS